terça-feira, 6 de janeiro de 2009

So close, no matter how far...

video

Primeiro, tinha a intenção de colocar sobre gosto mus
ical, mas vou comentar um outro dia pra não ficar tão longo, já que o assunto que me chamou a atenção vai exigir um bom espaço, só iniciando, não gosto muito de Metallica pois algumas músicas fazem apologia a algo muito negativo, mas essa, em suas poucas palavras me disse tanto...
A bela quer algumas demonstrações, buscando em outro se é possível trilhar aquele caminho. Sobre -
Um amigo muito querido me ensinou que é impossível passar pela vida sem ser magoado ou sem magoar alguém. Porque algumas vezes a sua felicidade vai contra o desejo de alma de uma outra pessoa. Irmãos, é impossivel realmente do jeito que o homem leva a vida. Sabe porque nos magoamos, por que temos apego a determinadas coisas, quando você aprender a não se apegar da mesma maneira, ou, melhor, se for apegado a tudo fica mais fácil, aprendi sobre apego a primeira vez assim, não se apegar pra não sofrer, só que eu gosto de me apegar, não quero uma vida sem Sal, então a traduzi de outra maneira, aquela história sobre ame o quanto puder, aprenda a amar mais, a dor vai fazer parte, não estamos acostumados, mas sabe como um grande guerreiro fica realmente forte? Depois que ele já apanhou tudo que tinha pra apanhar, se ele for forte pra continuar, continuar a lutar, não ter medo de se machucar, seu coração se tornará muito mais forte, depois do inverno vem a primavera, tenha calma. Aí, quando você conseguir enfrentar suas dores e seus medos, se lembre, machucar o outro não é uma opção sua, a pessoa querer algo que não convém a ela receber, ela estará buscando sofrer, ela está se machucando, a culpa não é sua, cada um passa pelo que precisa e procura. A culpa do nosso sofrimento é nossa, não do outro, se eu me apaixonei por alguém que não conseguirei, independente do motivo, eu precisava aprender com isso, sobre apego e tudo mais, a culpa não é da pessoa, sim minha, quem mandou eu me apegar? O magoar foi o necessário, não a consequência, você não fez nada que não devesse fazer, cabe a pessoa aprender com tudo que passa. A questão do não fazer para o outro o que não quer que façam pra você é outra, sobre ser sincero, não faltar com respeito, não cobiçar o que é da pessoa, não lhe fazer mal fisico, não roubar, é fácil, só se lembre, sobre sentimentos, não foi você que magoou as pessoas que você acha que magoou, eles procuravam por isso, as pessoas buscam coisas que não podem alcançar, isso não tem a ver com não fazer o mal ao próximo, espero que entenda. Se a pessoa está sofrendo é por opção dela, muitas vezes inconciente, pois precisamos entender que estamos no caminho errado, então sofremos, para vermos que o caminho a ser percorrido é outro.

Sobre se eu ponho em prática ou não, permita-me citar a Jesus: " Se der uma esmola com a mão direita, que nem a sua mão esquerda saiba." ( Se eu me lembro é isso ) Não sou de ficar falando, nem para minha família sobre meus atos, minha busca, mas como aqui sou anônimo, por que não um pouco? Vou falar de pessoas que ajudei. Certa vez estava muito deprimido; aliás, as vezes que tenho mais possibilidade de ajudar alguém é quando eu acho que eu que preciso de ajuda; uma das mais difíceis épocas da minha vida ( entenda-se, época onde eu mais aprendi ), e me surgiu um amigo recente que passava por necessidades, natal de alguns anos, ele e sua família não tinham o que comer, eu também não estava em tão boa época financeiramente, mas emprestei para ele dinheiro suficiente para o aluguel, com a premiação que ganhei, que vinha em vale mercado, consegui pra ele a ceia, eu e um outro amigo dele colocamos comida no natal dele, ele veio me pagar, eu precisava pois devia muito, e era o combinado ser empréstimo, ele me devolveria depois, eu simplesmente não quis receber, sei lá, eu não podia pegar aquele dinheiro, e ficou assim, amigos dele de mais de 5 anos, que o conheciam "melhor" falavam que eu tinha feito uma besteira, ele tinha contado pra eles, eu não me preocupei pois sei que fiz o certo, e sempre tento (se erro não é intencional, quero sempre ter algo a aprender e pra testar, colocar em prática, evoluir e crescer) fazer, ajudei um senhor caido com a testa sangrando na rua certa vez enquanto muitos passavam só olhando, chamei a ambulância, coloquei gelo em sua cabeça e limpei o sangue que escorria, pude ajudar muitos amigos com duvidas e medos em suas cabeças, com esforço fisico, carregando as coisas, com pequenos momentos de carinho, com companhia, uma vez para um cego algo que caiu na rua, que me agradeceu muito, com grandes e pequenas coisas, as pequenas são essenciais também, fazer o que puder com o que tem, e não falo, sobre o que citei aqui a ninguem que vê o meu rosto, pois não vejo necessidade em sair me gabando, o tesouro que busco é espiritual, se você sai falando essa será sua recompensa, o reconhecimento dos outros. Minha recompensa recompensa, dessa maneira, vem em felicidade, paz de espírito, momentos divinos, pessoas divinas, uma recompensa maior que qualquer dinheiro, a espiritual.

A questão que você deve se fazer não é se eu consigo e sim se você consegue, sobre o que busca, não se preocupe com o outro, se preocupe em trilhar o seu caminho, o outro é importante, mas ele só depende dele, se ele buscar ajuda, ajude, mas, se ele não quiser ser ajudado, o que você poderá fazer? Entende, não que você não deve ajudar quando digo pra não se preocupar com o outro, se preocupe se ele quiser que você se preocupe. Eu tenho convicção do meu caminho, da Verdade na maneira que eu conheço, se eu estiver errado que eu caia com a cara no chão, que eu tenha que encontrar outro caminho, não tenho medo de errar, o que ponho aqui são minhas conclusões, algo maior do que a experiência por si só, algo que nem aos mais próximos de mim eu conto, pois eles não buscam isso, eu deixo aqui para quem está interessado, a quem realmente possa ser útil. Seus problemas podem ser outros mas o resultado pode ser o mesmo do meu, se puder ajudar a encontrarem respostas fico feliz, essa é minha recompensa, por isso estou anonimo, não busco reconhecimento, aqui eu não sou interessante, a busca é de vocês, eu já tenho minhas conclusões. Não falo em palavras difíceis para que vocês entendam, não ponho coisas complicadas pois não interessam. A vida é muito mais simples do que isso, nós a complicamos demais.

Por favor, sintam-se a vontade em se expressar. Se preferir ficar anonimo, fique, só não fique com a lingua presa.

Até logo queridos irmãos. Fiquem em paz.

4 comentários:

  1. O que disse é verdade. Não há muito mais o que acrescentar. Apenas que é difícil confiar nas pessoas e que escolhemos nossos atos de bondade. A gente pega ônibus e metro e nem diz "oi" ou "bom dia" para a pessoa ao lado. Não sabemos como foi o dia dela. Talvez, ela gostaria que alguém conversasse e perguntasse como ela está. Isso seria o suficiente. Mas não o fazemos. Estamos muito mais preocupados com os nossos "problemas", que julgamos ser maior que o dos outros. Cada um ajuda o próximo da maneira que lhe cai melhor. Você ajudou esse amigo que não teria ceia, mas tem gente que não tem o que comer todos os dias. Fez isso porque confiava nele. Sabia que o dinheiro seria mesmo para o aluguel.

    Já faz anos, mas lembro-me que estava indo para um curso que fazia e entrou um cara desesperado no onibus, dizendo que vendia balas, tinha acabado de comprar uma caixa para vender, mas que foi assaltado. Ele achava horrível ter que pedir, preferia trabalhar, mas se roubaram o que ele tinha, o que poderia fazer? Eu coloquei a mão no bolso, tinha 1 real. Era tudo o que eu tinha. E dei. As pessoasse se comoveram, deram notas de 5 e de 10 reais. O cara saiu feliz do onibus. No outro dia, no mesmo horário, na mesma linha, ele subiu no onibus novamente e contou a mesma história. Não acreditei.

    Resultado: Não confiamos em todo mundo. Ajudamos um e outro, mas escolhemos quem será o ajudado. É muito bonito tudo o que disse, mas ninguém faz um quarto do que poderia fazer. E ainda acredito na tese: Tudo o que fazemos é porque teremos algum beneficio. Tudo. Nenhum ato é de graça. Mas o beneficio pode ser um sorriso, o ego, a popularidade... Cada um decide o que quer receber, mas tudo é uma troca. Então, se há algo para ser mudado, é a concepção de o que pode ser uma boa recompensa.

    Abraços! ^^

    ResponderExcluir
  2. "So close no matter how far
    Couldn't be much more from the heart
    Forever trusting who we are
    And nothing else matters"

    Sábias palavras da minha amiga Andréia.
    Típico comentário de quem estuda Comunicação. rs...
    Essa observação sobre reformular conceitos é muita precisa. Muito precisa. Ela mandou bem.

    Depois dela, pouco me resta dizer.
    Mas grata que sou a atenção que você vem me dando e a forma como parece fazer questão da minha presença e das minhas opiniões, não só minhas, claro, mas também minhas, farei alguns apontamentos...
    O primeiro deles é: Música. Essa música é F***. Muito boa. Muito boa. Amei você tê-la colocado aqui. E amei que tenha sido essa versão. Incrível. Tocante.

    Depois, querido anônimo, sem nome e sem rosto, Emanuel Salomão, eu já esperava essa resposta de você.
    Tenho sede sim. Mas não de respostas prontas. E minha água, não a encontro em palavras. Seus exemplos nada são além de palavras. Pra mim só chegam elas. Suas palavras. Desafiei-o a mostrar-me algo mais. Não fostes capaz.
    Que tens um bom coração, não tenho dúvidas. Se não tivesses não conseguiria sequer formular em palavras as expressões que formulas.
    Mas minha dúvida com relação a isso não é essa.
    Não tenho dúvidas de que és consciente. Sei que és. Acredite que acredito-te. Pois acredito.
    O que incomoda e intriga é perceber quanta consciência é perdida no cotidiano. Sei sei. Já é muito fazer por um amigo que não tem comida no Natal. Foi bacana. Legal mesmo.
    Mas foi uma atitude exporádica.
    Quer dizer... além de pegar ônibus e ir trabalhar todos os dias, o que mais você faz?
    Tratar as pessoas bem é um bom começo. Um bom... começo.
    E depois?
    Você faz trabalho voluntário?
    Doa materiais ou serviços sistematicamente?
    De que forma colabora com seu ambiente imediato e global?
    Você recicla seu lixo?
    Você dá aula de alguma coisa para quem não possa pagar?

    Veja... a observação sobre a mágoa não vem de quem não te entende. Não preciso de detalhamentos. Nem preciso que descompliques para que eu possa entender melhor.
    Posso entender. Se quiser pesar, pese.
    A idéia aqui é a mesma: pago pra ver.

    O que me preocupa são as idéias prontas.
    E essa sua certeza.
    Porque é fácil, caro, estar bem quando tudo está bem.
    Difícil é fazer tudo ficar bem quando tudo está ruim.
    Acho muito perigosa essa idéia de atribuir culpa.
    É culpa do outro que escolheu sofrer?
    Ah... sim sim. É fácil dizer que as crianças da África escolheram nascer aidéticas de pais aidéticos e morrer de fome. Eles escolheram. Logo, nossa política, nossas ações de nada valem... correto?
    Viu como é perigoso?
    Não creio em culpa. Creio em responsabilidades. E temos responsabilidades uns sobre os outros. Inclusive sobre os sofrimentos. E não é ruim que assim seja.
    É por isso que solidariedade não é uma virtude e um valor em si mesma. Mas, como minha amiga disse aqui em cima, é uma questão de interesse. É uma questão de sobrevivência.
    E aí se reformularmos o conceito de interesse? Um interesse não pode ser nobre?
    Pode.
    Pode ser, sim.
    Eu posso estar genuinamente interessada na felicidade de outra pessoa.
    Mas houve um interesse.
    Houve solidariedade.
    E houve responsabilidade.
    E nem por isso houve divindade.
    Não que eu não a creia. Não mesmo.
    A creio. De verdade.
    Mas não são substanciais esses argumentos de que "é porque Deus quis".

    E nossa parte?
    E sua parte?
    É fazer bem no Natal?
    É acolher alguém na rua?
    Bonito isso... Bonito mesmo...
    Esse é seu máximo?
    Hum...
    Quero ver mais.
    Mostra-me.

    ResponderExcluir
  3. É um texto de gaveta que encontrei sem procurar.
    Talvez ele explique porque as palavras não bastam.

    http://camilacaringe.blogspot.com/2007/12/parcerias-da-vida.html

    ResponderExcluir
  4. Olá,
    Obrigado por elogiar minhas poesias, seja bem vindo, passe por lá sempre.
    ... e eu estou dando uma passadinha por aqui!

    ResponderExcluir